top of page
  • Foto do escritorElysanna Louzada

Desvendando o enredo


O enredo, também conhecido pela terminologia em inglês plot, é a estrutura da história propriamente dita. É uma sequência de eventos que deve ser organizada de forma estratégica para estimular emoções e capturar a atenção do leitor.


Subenredos ou enredos secundários

São enredos menores que funcionam como suporte da história, e criam a possibilidade de conhecermos mais sobre a vida do protagonista, além de ser uma das melhores formas de desenvolvermos e criarmos personagens secundários, dando-lhes vida e personalidade.


Estrutura do enredo

É a forma como os eventos são organizados. Como exemplos de maneira de organização de estruturas narrativas temos "a jornada do herói" que é uma estrutura clássica.


ELEMENTOS DO ENREDO

Evento

É algo que cria uma mudança significativa na situação de vida do personagem. E entende-se por algo significativo qualquer mudança que esteja associada a valores, por exemplo, alterações em estados emocionais - amor/ódio, morais - bom/mau, éticos - certo/errado, condição de vida - liberdade/prisão, vivo/morto...

Cena

É uma unidade básica. É uma ação com conflito que transforma a condição de vida de um personagem. Boas histórias fazem com que cada cena contenha um evento.

Se uma cena tem atividade, ação, mas não tem nenhuma mudança de valor é uma cena, muitas vezes, desnecessária.

Sequência

É uma série de cenas (em torno de cinco) que culminam em um impacto maior em comparação às cenas anteriores. Esse impacto pode ou não ser um ponto de virada da narrativa.

Clímax

É o ápice do livro. É onde os leitores desejam chegar quando começaram a ler. É o local para o qual o protagonista é levado pela sequência de cenas da história.

Se fizer um bom trabalho, honrará as expectativas do leitor e entregará uma história fascinante.


RECURSOS QUE PODEM SER UTILIZADOS NOS ENREDOS

Ganchos da história ou de uma cena (ou hook) é uma passagem que obriga o leitor a continuar lendo.

Reviravolta no roteiro (ou plot twist) são eventos inesperados que surpreendem o leitor.

Cliffhangers são finais cheios de suspense em momentos-chave, sejam eles cenas ou capítulos, que mantêm o leitor esperando para descobrir o que acontece a seguir.


TIPOS DE ESTRUTURAS DE ENREDO

Existem vários tipos de estruturação de enredo. Vou abordar de maneira suscinta três deles:


1. Curva de Ficheané

É uma estrutura clássica que compõe quase todas as histórias. Contém três partes básicas: ação ascendente, clímax e ação descendente.

Ação ascendente: é a parte principal da história e ocupará a maior parte do seu tempo. É pontuada por várias crises. Em cada uma delas os riscos aumentam. A trama progride e aumenta a atenção. Por isso chamada de ação ascendente.

O clímax: no auge de sua ação crescente, tudo se acumula em um único clímax, para onde convergem todas as ameaças/problemas do livro. Isso está perto do fim do seu romance, no auge da tensão.

Ação de queda: após o clímax, é preciso um tempo para deixar o leitor relaxar. Isso é feito com a ação de queda. Esse é o momento de amarrar quaisquer pontas soltas da história e mostrar os personagens retornando a um estado de normalidade.


2. A estrutura em três atos

É uma estrutura de enredo popular para peças teatrais, filmes e romances.

Ela tem três partes básicas:

Preparação (Ato 1): Apresenta o local, os personagens e o cenário da trama (incluindo o incidente incitante).

Confronto (Ato 2): Personagem principal ou grupo de personagens luta para atingir os objetivos estabelecidos na configuração.

Resolução (Ato 3): O pico de tensão alcançado no final do Ato 2 se resolve no final.


Os Nove Passos da Estrutura dos Três Atos


Ato I: Preparação

Exposição: estabelecer um “mundo comum, ou um momento em que o status quo é normal

Incidente incitante: lance um evento que inicia o fluxo da história

Ponto de virada 1: a essa altura, o protagonista decidiu lidar com o conflito. Atravessamos o “limiar” e passamos para o Ato 2.


Ato II: Confronto

Ação crescente: o herói enfrenta vários desafios que aumentam a tensão.

Ponto médio: um evento em particular vira tudo de cabeça para baixo e quase arruína as chances do protagonista de atingir seu objetivo.

Ponto de virada 2: seguindo o ponto médio, o personagem principal falha em um desafio, colocando tudo em perigo e questionando se o protagonista é capaz de ter sucesso.


Ato III: Resolução

Pré-clímax: há um momento antes do clímax final da história em que o personagem principal se recompõe e se prepara para o confronto final.

Clímax: é o confronto final com o antagonista ou a principal fonte de conflito, geralmente terminando com (mas nem sempre) um sucesso por parte do protagonista.

Dénouement ou ação de queda: é o começo do fim. Todas as pontas soltas são bem amarradas e as consequências do clímax são claramente explicadas.

Inclui todos os eventos e tudo o que acontece como resultado do clímax. Esses eventos são geralmente mais relaxados e notavelmente diminuindo a tensão à medida que a história se aproxima de sua conclusão.


3. A Jornada do Herói


Os 12 Passos da jornada do herói

Parte 1: Partida

O mundo comum: estabelecemos o lugar de conforto para o herói.

O chamado da aventura: é semelhante ao incidente incitante, em que o herói recebe um motivo para partir em uma aventura.

Recusa do chamado: a princípio, o herói reluta em atender ao chamado à ação.

Conhecendo o mentor: em quase toda jornada do herói, há um sábio mentor que dá conhecimento ao herói ou o prepara para o que está por vir.

Cruzando o 1º limiar: o herói sai de sua zona de conforto e a trama principal começa. Em uma estrutura de 3 atos, este seria o fim do primeiro ato.


Parte 2: Iniciação

Testes, aliados, inimigos: o herói enfrenta desafios cada vez mais difíceis, mas também ganha aliados contra os novos inimigos.

Aproximação da caverna: o herói se aproxima de seu objetivo, mas ainda não temos certeza do resultado.

A provação: é um grande desafio que o herói supera.

Recompensa (pegar a espada): como resultado da superação do desafio anterior, o herói recebe algum tipo de benefício ou recompensa para ajudá-lo no futuro.


Parte 3: O Retorno

O caminho de volta: neste ponto, o herói alcançou seu objetivo, mas ainda não é o fim. O herói pode até descobrir que o que eles conseguiram pode ter piorado as coisas.

Ressurreição: o herói enfrenta seu maior desafio, o clímax de toda a história, onde tudo o que aprenderam até então se junta.

Retorno com o elixir: é semelhante à ação de queda, onde todas as pontas soltas são amarradas e o herói retorna ao seu mundo comum com novas experiências.

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận


Bình luận đã bị tắt.
bottom of page